The best for you - worldwide!
03.09.2015
Empresa

Ergonomicamente bem

Problemas físicos afligem muitas equipas de consultórios. Seja dores de cabeça, nas costas ou no pescoço, trabalhar de forma ergonómica ajuda frequentemente a evitar este tipo de dores. Com poucas alterações ou pequenos meios auxiliares conseguem-se de imediato melhorias.

O problema é o mesmo em muitos consultórios dentários: os funcionários e dentistas queixam-se de dores de cabeça, nas costas ou no pescoço e nos ombros. Uma consequência frequente é terem de consultar um ortopedista ou fisioterapeuta. Mas muitas vezes os consultórios dentários não identificam as relações entre o seu trabalho e os problemas que os afligem, embora uma forma de trabalhar mais ergonómica poderia evitar algumas dores.

Apenas alguns poucos funcionários, quanto muito, ter-se-ão ocupado com o assunto. Não é parte integrante da sua formação e mesmo aos dentistas não é transmitido, durante os seus estudos, qualquer conhecimento no campo da ergonomia. Pelo contrário: através da aprendizagem na cabeça artificial, os dentistas adquirem logo desde o início as primeiras posturas incorretas. Dos erros típicos no trabalho diário no consultório fazem parte o sentar-se errado, a posição de trabalho errada devido a um posicionamento incorreto do paciente, falta de repartição do trabalho entre assistente e dentista, assim como a técnica errada de aspirar e segurar os instrumentos.

Isto começa logo na acomodação do paciente. Os pacientes são acomodados na unidade de tratamento de modo a se sentirem o mais confortáveis possível. Assim, nem sempre é possível adotar uma postura de trabalho ergonómica, tendo médico dentista e assistente que trabalhar numa postura curvada. Aqui já ajuda colocar mais na horizontal a posição de entrada do paciente na unidade de tratamento, de modo que, por exemplo num tratamento no maxilar superior, este não fique demasiado surpreendido quando é posicionado tão baixo que a cabeça e os pés ficam ao mesmo nível.

Para o conforto do paciente também se recomenda uma almofada para o pescoço, que lhe pode ser proposta como acomodação auxiliar em cima do encosto de cabeça.

Também é necessário aprender a sentar-se corretamente. No caso de uma posição sentada incorreta continuada são solicitados sobretudo os discos intervertebrais. Por conseguinte, não só a cadeira deve ser ajustada por cada auxiliar às suas necessidades particulares, a posição sentada também é decisiva: pés horizontal e firmemente no chão, tronco direito, inclinar a pélvis ligeiramente para a frente, relaxar os ombros e abrir ligeiramente as pernas. Esta posição sentada pode ser auxiliada com almofadas elevadoras, por exemplo.

Uma técnica sistemática de aspiração e de segurar os instrumentos também não deve ser negligenciada. Em particular para evitar dores nos pulsos ou lesões no túnel carpal. Ergonómica é uma técnica de pegar de três pontos. Com pequenos meios auxiliares como uma articulação esférica ou cânulas de aspiração rotativas é possível montar, por exemplo, as peças de mão de aspiração da Dürr Dental em três combinações individuais – consoante a necessidade dos colaboradores.

Vantajosas são formações práticas no próprio consultório sobre como trabalhar de forma ergonómica, como as oferecidas pela Dürr Dental. Ajustamentos à forma de trabalhar só podem ser aplicados com sucesso através da prática. O ideal seria que toda a equipa recebesse a formação. Pois o trabalhar ergonómico também afeta as posições de trabalho de dentista e assistente, a repartição do trabalho durante o tratamento e a forma correta de chegar os instrumentos.

Em todo o caso, um bom ponto de partido é examinar problemas físicos dentro da equipa do consultório quanto às suas relações com o trabalho. As razões nem sempre são stress, excesso de peso ou falta de atividade desportiva. O negligenciar da ergonomia no trabalho diário também pode dar origem a estes problemas.

Trabalhar de forma ergonómica protege o dentista e a sua equipa contra acidentes de trabalho.

Publicado por: rf
Ergonomicamente bem